AL-INVEST Green promove o diálogo sobre os desafios do novo regulamento da UE relativo à desflorestação

Lima, 07 de novembro de 2023 - O programa AL-INVEST Verde da União Europeia (UE) serviu de plataforma para promover o diálogo sobre o novo regulamento da UE relativo à desflorestação (EUDR), que promove práticas mais sustentáveis no sector privado. Líderes de organizações empresariais latino-americanas, peritos da UE e especialistas locais reuniram-se em Lima para discutir os desafios colocados pelo EUDR na transição de empresas e pequenos produtores para uma economia mais verde que representa oportunidades de crescimento.

Organizado pela Componente 1 - a componente de apoio ao sector privado - o diálogo foi dividido em dois eixos temáticos: a regulamentação das cadeias de valor sem desflorestação na indústria agroalimentar e a regulamentação para promover a transição para modelos de negócio mais circulares e eficientes em termos de recursos.

O evento destacou a preocupação crucial para os produtores de café e cacau, particularmente no Peru, sectores para os quais a adaptação ao novo EUDR é uma prioridade. Os especialistas preveem que, sem a certificação de não desflorestação, as exportações peruanas para a UE, que em 2021 atingiram 3,261 mil milhões de dólares, poderão ser gravemente afetadas.

O diálogo foi aberto por Ilias Tsilekas, responsável da UE pelo Comércio Externo e Assuntos Económicos no Peru. "O regulamento é um instrumento ambiental fundamental para cumprir os compromissos internacionais e promover a produção agrícola sustentável, a gestão sustentável das florestas e o desenvolvimento de cadeias de valor transparentes", afirmou.

Germán Zarama, analista de políticas e ponto focal da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) para a América Latina e as Caraíbas, destacou a entrada em vigor do EUDR em 29 de junho de 2023. "É a primeira vez que um grande bloco comercial aborda o problema da desflorestação de forma tão abrangente. O EUDR proíbe a importação de produtos de base produzidos em terras desflorestadas, degradadas ou convertidas após 31 de dezembro de 2020, incluindo produtos como o óleo de palma, a soja, a madeira, o gado, o cacau, o café, a borracha e os seus derivados".

Durante o diálogo, foram levantadas preocupações sobre um possível desincentivo à compra de produtos em áreas de alto risco de pequenos agricultores que não cumprem a certificação necessária. Os produtores, os comerciantes e o Estado peruano foram, por conseguinte, instados a prepararem-se, a identificarem as consequências nas suas cadeias de abastecimento e a trabalharem numa agenda conjunta para as resolver, assegurando que os pequenos agricultores têm acesso a oportunidades de crescimento e rendimento, ao mesmo tempo que cuidam das florestas.

María Merino, especialista em assuntos regulamentares do NIRAS, sublinhou a necessidade de a região avançar para modelos novos e mais sustentáveis. "A América Latina e as Caraíbas têm processos de produção maioritariamente lineares. O desenvolvimento da região baseia-se na utilização sustentável dos recursos naturais da região. É fundamental avançar para modelos de negócio mais circulares, o que representa uma grande oportunidade para as empresas", afirmou.

O AL-INVEST Verde é um programa da União Europeia destinado a promover o crescimento sustentável e a criação de emprego na América Latina. O seu objetivo é apoiar a transição para uma economia de baixo carbono, eficiente em termos de recursos e mais circular, para facilitar a implementação de modelos de produção sustentáveis.

O evento anual, organizado pela Componente 1 do programa, tem servido como uma plataforma crucial para abordar desafios e procurar soluções. Graças ao apoio do AL-INVEST Verde, as PME da região têm a oportunidade de se adaptar a estes novos regulamentos, garantindo assim a sustentabilidade e o sucesso contínuo das exportações de produtos como o café, cacau, óleo de palma, madeira, gado, soja, borracha e produtos derivados para a União Europeia.

Sobre o AL-INVEST Verde

O AL-INVEST Verde é um programa da União Europeia cujo principal objetivo é promover o crescimento sustentável e a criação de emprego na América Latina, apoiando a transição para uma economia de baixo carbono, eficiente em termos de recursos e mais circular. Através da Componente 1, o programa gere fundos para a implementação de projectos inovadores por organizações empresariais para promover práticas sustentáveis no sector privado (MPME) na América Latina. A Componente 1 é liderada pela sequa, uma organização alemã sem fins lucrativos que opera a nível mundial com o objetivo de promover o sector privado.

Mais informações: www.alinvest-verde.eu